Carteira dupla

O Governo de Minas Gerais vai ampliar a emissão da Carteira Nacional do Artesão no estado. Para isso, o Instituto de Desenvolvimento do Norte e Nordeste de Minas Gerais (Idene) e a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, por meio da Diretoria de Artesanato, promovem treinamento para 20 técnicos cadastrarem os artesãos em suas regiões para receber o documento. A capacitação ocorre nos dias 3,4 e 5 de março, no 9º andar da Cidade Administrativa.

A Carteira Nacional do Artesão é um documento válido em todo o território brasileiro para fomentar a formalização da atividade e propiciar aos seus portadores o acesso a cursos de capacitação, feiras e eventos, apoiados pela Sede/Idene e pelo Programa do Artesanato Brasileiro (PAB). A carteira é concedida a todos os artesãos que tenham idade igual ou superior a 16 anos.

Para o diretor-geral do Idene, Nilson Borges, a parceria com a Sede é fundamental para formalizar o maior número possível de artesãos. “Em diversos municípios da nossa área de abrangência, o artesanato tem uma importância econômica, social e cultural, razão pela qual esse trabalho de facilitar o acesso à carteira se soma a outras ações de valorização desse ofício”, ressalta Borges.

Hoje para se adquirir a Carteira Nacional do Artesão, agenda-se o cadastramento na Cidade Administrativa (Belo Horizonte), Centro de Artesanato Mineiro (Palácio das Artes) ou nas cidades históricas de Ouro Preto (região Central) e São João Del Rey (Campo das Vertentes). O interessado passa por uma entrevista focada no tipo de artesanato que ele produz.

Novos locais para emissão da Carteira Nacional do Artesão

Com o treinamento a ser realizado na capital, os técnicos estarão aptos a cadastrar os artesãos nas nove coordenadorias regionais do Idene: Montes Claros, Janaúba, Januária, Salinas, Diamantina, Governador Valadares, Teófilo Otoni, Jequitinhonha e Araçuaí, bem como na Agência de Desenvolvimento da Região Metropolitana do Vale do Aço (Ipatinga) e, de forma itinerante, pelo projeto Minas Indígena da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese). Atualmente são 10 mil artesãos que possuem carteira e a expectativa é de ampliar em 30% nos próximos meses com essa descentralização.